Garden Route em 3 dias | África do Sul

Primeiro preciso falar que decidi ir para África do Sul num pulo! Na verdade o país já estava na minha listinha dos lugares que gostaria de ir mas nunca tinha pesquisado muito, além disso, eu também estava doida para viajar no carnaval, tava com zero paciência de tumulto.. Então, quando apareceu promoção de passagens para Joanesburgo por R$1000 logo na época do carnaval, não pensei duas vezes e comprei! Só que não tive tempo de pensar muito e acho que os 12 dias que ficamos foram pouco então tivemos que fazer render!

Fazer a Garden Route em 3 dias foi uma loucura, muita gente achou que não dava mas aproveitamos MUITO! Vou falar o roteiro que fizemos e depois o que gostaríamos de ter feito se tivéssemos mais tempo! Aí quem tiver mais dias disponíveis pode mudar o roteiro à sua maneira 🙂

Tá, Bia, mas o que é a Garden Route ou Rota Jardim? Nada mas é que o trecho entre as cidades de Mossel Bay e Storms River, no total são 200 km. Mas em geral, as pessoas fazem a rota saindo da Cidade do Cabo e indo até Porto Elizabeth, ai seriam 1600km de estrada (todo o percurso, quem puder desembolsar mais pode deixar o carro em Porto Elizabeth e voltar de avião à Cidade do Cabo). Eu fiz a rota de Cidade do Cabo até Jeffrey´s Bay e voltei tudo.

Como  se locomover ? 

Para mim a melhor opção é alugar um carro, o preço é super convidativo e vale a pena. Pagamos cerca de 80 reais por dia. Mas atenção, meio que passaram a perna na gente pois só estava inclusa uma franquia de 100 km por dia, ou seja, acabamos pagando uma pequena fortuna de km extra, o que teria sido evitado se negociássemos antes o valor vs kilometragem, então fica a dica!

Não me pediram carteira internacional para dirigir na África do Sul, eu aluguei carro em duas empresas diferentes e nossos amigos brasileiros em uma terceira. No entanto, pela lei é necessário um documento com foto em inglês, um amigo foi parado numa Blitz e quase “dançou”.

Mas se preparem que a mão é inglesa, mas super bem indicado, tem setas pintadas no chão e setas indicando o sentido da rotatória, é bem seguro e rapidinho se pega o jeito da coisa!

O preço da gasolina também é inferior ao do Brasil (~13 rands) , as estradas são maravilhosas, um tapete, e durante todos os nossos dias lá só pagamos um pedágio!

Existe também alguns ônibus de linha e transfers, mas ir de carro tem a vantagem de escolher seu próprio horário, fazer as coisas no seu ritmo sem preocupação de perder a hora do bus.

Como organizamos nosso roteiro em três dias:

Dia 1: Cidade do Cabo, Mossel Bay e Knysna

Acordamos cedo e pegamos a estrada. O trecho até começar a Garden Route, na cidade de Mossel Bay, é bem sem graça, são 390 km e a estrada não tem nada nos dois lados e é bem monótona, mas faz parte.. Fiquem atentos ao combustível, tem longos trechos sem nenhum posto!

A cidade de Mossel bay é uma gracinha! Tem uma praia bem linda, cheia de piscinas naturais , um farol e casinhas fofas, passeamos pelo “calçadão” e tiramos muitas fotos!

2017-02-28 15.59.26-3

Depois fomos para Knysna que tem um porto gracinha, com um “waterfront”, cheio de lojinhas e restaurantes, por lá vimos um pôr-do-sol lindo, se tiver mais tempo vale saber que de lá saem passeios de catamarã a vela. A cidade também leva fama por suas ostras!

Dica de hospedagem: 8 at 40 trotter (580 zar). Apartamento bem localizado e bonito.

Dica de restaurante: Anchorage. Um dos melhores avaliados no trip advisor, comida deliciosa! (valor médio: 200 zar por pessoa com taça de vinho)

Dia 2: Knysna, Nature Park, Tsitsikamma e Jeffrey’s Bay. 

Acordamos e pegamos a estrada rumo ao Tsitsikamma, mas antes demos uma parada no Nature Park, pena que o tempo estava muito nublado mas já deu para ter uma ideia da beleza da região!

Um dos lugares que eu gostaria de conhecer mas não deu tempo foi o albergue Wild Spirit que fica no Nature Park, e muitas pessoas disseram que é uma experiência única!! A propriedade é bonita, com muita natureza e cachoeiras, e um ótimo lugar para conhecer pessoas, com jantares em torno da fogueira todas as noites. Parece ser bem hippie, mas me pareceu uma experiência interessante para quem tiver mais dias🙂

Em seguida fomos para o Tsitsikamma onde fizemos a trilha até as 3 pontes pênseis sobre a foz do Rio Storms no oceano Índico.  É um percurso de pouco mais de 1 km, todo com plataformas de madeira, super tranquilo e lindo de viver! A entrada do parque custa ZAR 100 por pessoa.

2017-03-01 13.54.24-3

Lá pelas 15 o sol abriu e ficou um dia lindíssimo! Mas antes a paisagem envolvida pela bruma também estava mágica!

2017-03-01 14.55.45-3-1

2017-03-01 14.33.21

Depois do parque fomos para Jeffrey´s Bay onde pernoitamos.

Dica de hospedagem: Sea Echo Accomodation (500 zar). Quarto lindo, com vista pro mar e atendimento super delicado e simpático. Recomendo demais esse lugar, super baratinho!

Dica de restaurante:  Nina Restaurant. É um dos mais famosos da cidade, com clima descontraído, comida DELICIOSA e bom atendimento. Comemos um filé de atum (Fresh Flame Grilled Tuna) que estava divino, não deixem de experimentar!

Dia 3: Jeffrey,s Bay, Tsitsikamma, Bungee Jump e retorno à Cidade do Cabo

De manhã passeamos pela cidade de Jeffrey´s Bay, conhecido point de surf no mundo todo! A cidade não tem nada espetacular, mas é bem bonitinha, tomamos café num lugar super fofo, o Tasty Table, recomendo demais:

2017-03-02 04.10.41

2017-03-02 09.05.47-2

Pouco antes do meio-dia pegamos a estrada para retornar ao Tsitsikamma e fazer o passeio de Kayak e Lilo (no dia anterior não tinha vaga, o ideal é tentar reservar com antecedência) com a empresa Untouched Adventures. Achei esse passeio imperdível! A gente pega o kayak na praia e rema até a foz do rio Storms , passando por debaixo da ponte pênsil e entrando pelo cânion formado pelas belas montanhas da região. Deixamos o Kayak e pegamos os Lilos, que nada mais é que um colchonete inflável, onde nos adentramos mais no rio, em um cânion mais estreito, nesse trecho a água é 100% doce. Nesse ponto também existe um lugar para saltar (4 metros de altura). O visual é incrível, as fotos não conseguem mostrar, vale muito a pena!

2017-03-02 14.22.472017-03-02 14.27.41-22017-03-02 15.17.09

Depois desse passeio iniciamos nosso retorno à Cidade do Cabo, mas antes passamos pela Bloukrans Bridge que é onde rola o Bungee Jump. É o maior bungee jump de ponte do mundo, tem 216 m de altura!!! O preço é salgadinho, cerca de 250 reais, então ficamos só olhando mesmo, pula uma pessoa à cada 2 minutos. Tem um restaurante com vista panorâmica, paramos por lá para um lanche, cervejinha e ouvir os gritos da galera.

2017-03-02 16.21.43

Um lugar que não tive tempo de visitar foi  Porto Elizabeth. Segue relato de um amigo: PE não tem nada demais em si, é uma cidade média pra padrões sul africanos. Tem 2 programas legais de fazer: o Kragga Kamma Private Reserve (Tipo um safári pago) e o Addo Elephant Park que na minha opinião é a Reserva Natural que mais vale a pena se conhecer na África do Sul em termos de ver bichos (melhor tamanho vs população de animais).

Espero que tenham curtido nosso roteiro e tenha ajudado a programar sua viagem! O primeiro post da África do Sul você encontra aqui: África do Sul – O país que você PRECISA conhecer!

Beijos,

Bia

 

Anúncios

5 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s